PF prende suposto chefe do tráfico do Paraguai

A Polícia Federal (PF) prendeu hoje Carlos Arias Cabral, conhecido como Líder Cabral, e apontado no Paraguai como o maior traficante de maconha do país. Sua prisão ocorreu pela manhã, na cidade de Planalto, no Paraná, durante a Operação Liderança, realizada pela PF de Guaíra, no mesmo Estado. De acordo com informações da Secretaria Nacional Antidrogas (Senad) do Paraguai, Cabral é o responsável pelo envio de grandes carregamentos de maconha para o Brasil.

FABIANA MARCHEZI, Agência Estado

14 de julho de 2010 | 15h10

As investigações começaram há um ano e foram realizadas em conjuntos pelos dois países. De acordo com a PF, no começo das investigações os agentes não sabiam que um dos investigados era Cabral, já que ele usava diversos nomes para esconder sua identidade.

Nos últimos meses, Cabral se refugiou na cidade argentina de Andresito, pois temia ser morto por outros traficantes que atuam na região da fronteira entre o Brasil e o Paraguai. Em 2002, ele já havia entrado em confronto com o traficante Fernandinho Beira-Mar, numa disputa pelo controle do tráfico de drogas na fronteira. Da Argentina, segundo as investigações, Cabral passou a manter relações com as cidades paranaenses de Planalto e Capanema, onde era visto constantemente.

A quadrilha de Cabral também estaria planejando assassinar o traficante Carlos Antônio Caballero, o "Capilo" ou "Embaixador", apontado pelos agentes como um dos supostos líderes do Primeiro Comando da Capital (PCC) do Brasil no Paraguai.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.