PF quer prender 22 acusados de coação eleitoral no Rio

A operação da Polícia Federal que levou hoje à prisão a candidata a vereadora Carmen Glória Guinâncio Guimarães, a Carminha Jerominho (PT do B), tem objetivo de terminar o dia com 22 prisões efetuadas. Os pedidos de prisão, feitos pelo Ministério Público Eleitoral, ocorrem no curso do inquérito que vem apurando suspeita da prática de coação eleitoral por parte do deputado estadual Natalino Guimarães, atualmente preso sob acusação de liderar organização criminosa paramilitar, milícia conhecida como "Liga da Justiça".Os alvos da PF hoje são acusados de agir especialmente nas favelas do Batan, Barbante e Carobinha, situadas nos bairros de Campo Grande e Realengo, zona oeste do Rio. Hoje também foi preso na operação o dono de uma distribuidora de gás, Guilherme Bernadelli. Para o MP Eleitoral, o policial militar foragido Luciano Guinâncio Guimarães e a candidata Carminha Jerominho - filhos do vereador Jerônimo Guimarães, o Jerominho, que é irmão de Natalino e também está preso - passaram a liderar a organização criminosa depois que o pai e o tio foram detidos, com o intuito de coagir eleitores em benefício da candidata. Os pedidos de prisão temporária tiveram por base o objetivo de garantir o andamento das eleições municipais e a conclusão das investigações conduzidas pela Polícia Federal, segundo a Procuradoria Regional Eleitoral no Rio. Do que já foi apurado, suspeita-se, em tese, de tentativa de homicídio praticada por integrante de grupo de extermínio e formação de quadrilha armada (artigo 288 e parágrafo do Código Penal), motivadas pela intenção de facilitar a coação eleitoral (artigo 301 do Código Eleitoral). Nas comunidades que seriam dominadas pelo grupo ocorreram homicídios durante a campanha eleitoral, depois de serem presos os líderes da milícia, segundo o MP. O MP Eleitoral acredita que as prisões feitas hoje pela Polícia Federal, reduzindo o poder de influência do grupo sobre as comunidades onde atua, são fundamentais para o bom andamento das investigações e indispensáveis no combate à formação de currais eleitorais.

SOLANGE SPIGLIATTI, Agencia Estado

29 de agosto de 2008 | 12h20

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.