Pista de pouso clandestina é destruída na Amazônia

Uma pista de pouso clandestina foi destruída por caças da Força Aérea Brasileira (FAB) na madrugada de ontem, na fronteira do Brasil com a Colômbia. Por volta das 3 horas da manhã, oito bombas foram lançadas no local, a cerca de 1.000 quilômetros de Manaus. Foram utilizadas tecnologias como Óculos de Visão Noturna (NVG) e sistemas de reconhecimento de longo alcance.

MARCELA BOURROUL GONSALVES, Agência Estado

19 de agosto de 2011 | 15h17

Um avião de reconhecimento R-99 localizou a pista clandestina e acompanhou a missão para garantir a segurança do local. Quatro caças A-29 Super Tucano partiram de São Gabriel da Cachoeira (AM), cada um equipado com duas bombas de 230 kg. Os computadores dos caças calculam automaticamente o ponto de impacto das bombas.

A missão faz parte do esforço da FAB na Operação Ágata, que tem por objetivo coibir atividades ilícitas na fronteira do Brasil com a Colômbia. A pista foi a terceira destruída em oito dias. A primeira foi na última quarta-feira e a segunda, no sábado. Todas estavam localizadas na região conhecida como Cabeça do Cachorro.

Tudo o que sabemos sobre:
pistaclandestinaFABAmazônia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.