Pivô de escândalo se suicidou

Cientista especializado em armas químicas e biológicas, David Kelly trabalhava para o Ministério da Defesa britânico quando se suicidou em julho de 2003. Ele era responsável por assessorar o governo na busca por armas de destruição em massa no Iraque. Seu drama começou em 2002, quando Londres divulgou um dossiê sobre o programa de armas do ditador Saddam Hussein. Uma das principais acusações era a de que Bagdá poderia lançar um ataque com armas de extermínio em apenas 45 minutos. Kelly acabou se tornando o centro de uma polêmica sobre o dossiê depois de ter sido apontado pelo governo como a fonte de uma reportagem da BBC, que acusava o gabinete do então premiê Tony Blair de ter exagerado a ameaça iraquiana ao "esquentar" o relatório para justificar uma intervenção no país. Kelly chegou a ser sabatinado por parlamentares e, segundo sua mulher, não aguentou a pressão e se matou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.