Planeta

Comitê quer prorrogação do período sem queimadas em MT

, O Estado de S.Paulo

11 de setembro de 2010 | 00h00

O alto índice de queimadas em Mato Grosso e a falta de previsão de chuvas

levaram o Comitê Estadual de Gestão do Fogo a pedir ao governo estadual o prolongamento do período de proibição do uso de fogo para limpar áreas no Estado por mais 15 dias. O período proibitivo começou no dia 8 de julho com a previsão de encerrar em 15 de setembro.

Segundo dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), entre anteontem e ontem o Estado registrou 7.348 focos de incêndio. O município com maior incidência é Ribeirão de Cascalheira (a 960 km de Cuiabá). E o fogo no Parque Nacional de Chapada dos Guimarães continua sem controle. A analista ambiental do Ibama Priscila Amaral conta que o fogo em dois pontos turísticos, o Circuito das Cachoeiras e o Morro do São Jerônimo, espalhou-se e, agora, chegou ao Morraria do Quebra-Gamela. Quarenta brigadistas combatem o incêndio.

MUDANÇAS CLIMÁTICAS

Emissões na Europa caem 6,9% em 2009

A União Europeia diminuiu suas emissões de dióxido de carbono (CO2) em 6,9% em 2009 em relação ao ano anterior, principalmente por causa da crise econômica. A informação está em relatório da Agência Europeia do Ambiente divulgado ontem em Copenhague. De acordo com o documento, a redução global de emissões por parte da UE seria de 17,3% em comparação com os níveis de 1990 - próximo dos 20% de corte planejados para 2020. A agência explicou que a recessão motivou, em 2009, uma baixa de 5,5% no consumo de combustíveis fósseis (carvão, petróleo e gás natural). Mas diz que é importante lembrar que, com a recuperação econômica, as margens de corte de emissões serão reduzidas. / AFRA BALAZINA e FÁTIMA LESSA, ESPECIAL PARA O ESTADO, com EFE

Reciclável

350

toneladas de EPS (conhecido como isopor) foram recicladas em agosto no País, um recorde.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.