Planeta

TAM é multada por maltratar dois periquitos australianos

, O Estado de S.Paulo

20 de janeiro de 2011 | 00h00

A empresa TAM foi multada em R$ 5 mil no Pará por maltratar dois periquitos australianos transportados pela companhia aérea.

De acordo com as autoridades ambientais, a TAM fez as aves voarem por 18 horas, quando originalmente deveriam ficar no ar por 3 horas.

Um comunicado do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama) no Estado do Pará disse que o erro ocorreu quando um engenheiro contratou a empresa para transportar os periquitos de avião do Rio de Janeiro para Belém, capital do Pará, no final de dezembro.

A empresa enviou por engano as aves até a cidade de Fortaleza, no Ceará, fazendo com que a viagem para Belém levasse 18 horas, deixando os animais com a saúde debilitada.

Segundo o Ibama, os pássaros eram mantidos trancados em uma caixa pequena e escura, com pouca comida e água.

"A empresa submeteu os animais a uma situação de sofrimento e privação", afirmou Leandro Aranha, chefe da divisão de fauna do Ibama no Pará.

Um veterinário que examinou as aves disse que os animais tiveram sintomas de estresse e falta de ar por causa da viagem.

Procurada pela reportagem para comentar o caso, a assessoria de imprensa da TAM não respondeu até a noite de ontem.

FAUNA

Jiboia com filhotes é encontrada em fábrica

Policiais ambientais chamados para apanhar uma cobra que aparecera no pátio de uma multinacional em Sorocaba (SP), anteontem, tiveram uma surpresa: a serpente, uma jiboia, tinha um ninho com 20 filhotes. A ninhada estava num buraco próximo do alambrado que cerca a empresa ZF do Brasil, na zona industrial do município. Com a ajuda do veterinário Rodrigo Teixeira, do zoológico municipal, os policiais recolheram mãe e filhotes numa operação que durou cerca de uma hora. A jiboia mãe media cerca de 2 metros e os filhos, em torno de 20 centímetros. Os répteis foram levados para o zoológico e serão soltos numa área de matas próxima da cidade.

BIODIVERSIDADE

Papagaio ameaçado aparece em Ubatuba

Boa notícia para quem aprecia aves: o papagaio-moleiro (Amazona farinosa), criticamente ameaçado de extinção no Estado, foi observado recentemente em Ubatuba, na área do Itamambuca Eco Resort. O dono do hotel, Dimitri Matoszko, levou sete dias para registrar o pássaro. Foi a 230.ª ave fotografada nas dependências do estabelecimento, que mantém um projeto de observação de aves. Por ser uma espécie florestal, a população do papagaio-moleiro é diretamente afetada pela fragmentação das matas. E ela também é alvo do tráfico de animais. Ubatuba é vista como um paraíso para observadores de aves - lá é possível encontrar 500 espécies das cerca de 1,8 mil do País.

AQUECIMENTO

Estudo é retirado de site por ter falhas

Um estudo que projetava um aumento de 2,4°C na temperatura na próxima década continha falhas, segundo cientistas. O aumento da temperatura deve ocorrer, mas não em 2020. A pesquisa foi colocada anteontem no EurekAlert, um serviço para jornalistas da Associação Americana para o Avanço da Ciência (AAAS). Após um repórter do jornal britânico The Guardian levantar preocupações sobre a notícia, enviada pela empresa Hoffman & Hoffman, a AAAS contatou um especialista no assunto. A notícia foi, então, retirada do site. / AFRA BALAZINA, ANDREA VIALLI e JOSÉ MARIA TOMAZELA, com AGÊNCIAS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.