Planeta

Cientistas desvendam caverna com cristal gigante

, O Estado de S.Paulo

22 de janeiro de 2011 | 00h00

Descoberta acidentalmente em 2000 numa mina de chumbo, a caverna de Naica, no norte do México, possui cristais gigantes e afiados, além de temperaturas que beiram a casa dos 50°C e umidade de 80%. As condições inóspitas do local podem levar à morte uma pessoa sem trajes adequados em 30 minutos. Mas cientistas quiseram enfrentar os desafios e fizeram expedições ao local, a 300 metros de profundidade. Suas roupas especiais permitiam uma permanência de 45 minutos. A aventura foi filmada e será apresentada amanhã no canal NatGeo, às 23 horas.

Para poder explorar os minérios existentes na gruta, foi preciso extrair a água quente presente no local por meio de um complexo sistema de bombeamento. O custo desse trabalho será pago até quando o lucro da mina deixar de justificá-lo - quando esse momento chegar, a caverna voltará a ficar submersa.

AQUECIMENTO GLOBAL

UE proíbe venda de créditos de gases poluentes

A União Europeia anunciou ontem que proibirá a negociação de créditos de carbono referentes a alguns gases industriais, como os hidrofluorcarbonos (HFC-23) e óxidos de nitrogênio (N2O). A medida foi proposta em novembro de 2011 pela comissária do clima da UE, Connie Hedegaard, que pretende impedir o comércio de créditos referentes a esses gases no mercado europeu de créditos de carbono.

Os créditos em questão foram criados para premiar projetos industriais que destruíam os gases HFC-23 e N2O, usados como substitutos ao HFC-22, considerado nocivo à camada de ozônio. Ambientalistas denunciaram que alguns projetos produziam HFC-23 e N2O para em seguida destruí-los e vender os créditos. / AFRA BALAZINA e ANDREA VIALLI, com EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.