Planeta

Mostra de cinema celebra Ano das Florestas da ONU

, O Estado de S.Paulo

04 Junho 2011 | 00h00

A Cinemateca Brasileira, em São Paulo, recebe hoje e amanhã a première do Festival Internacional de Filmes da Floresta, iniciativa das Nações Unidas para divulgar o Ano Internacional das Florestas.

Os vencedores foram selecionados entre mais de 160 filmes, provenientes de cerca de 30 países. Entre eles, The Queen of Trees, coprodução da Inglaterra e do Quênia que mostra o poder da figueira-sicômoro africana, grande árvore que, no entanto, depende de uma espécie microscópica de inseto para garantir sua preservação. Conflict Tiger narra as relações cada vez mais conflituosas entre humanos e tigres nas florestas do extremo oriente da Rússia.

Kingdom of the Forest explora a vida selvagem das florestas primitivas da Europa. A programação pode ser consultada em cinemateca.com.br e no site do Ano Internacional das Florestas no Brasil, humanitare.org/florestas.

"O momento é oportuno para se falar de florestas, porque elas provêm o sustento para cerca de 300 milhões de pessoas no mundo todo e estão sob forte ameaça", disse ontem Jan McAlpine, diretora da divisão das Nações Unidas sobre florestas. Segundo ela, a mostra de cinema tem o objetivo de ajudar a divulgar a importância das florestas para o público. "O atual desafio é chegar a um equilíbrio em relação ao uso sustentável dos recursos da floresta, a agricultura e outras atividades humanas", disse.

Código Florestal. Paulo Nogueira-Neto, ex-secretário especial de Meio Ambiente e um dos pioneiros da legislação ambiental no País, participou do lançamento do Ano Internacional das Florestas no Brasil. Ele destacou que a recente aprovação da reforma do Código Florestal pela Câmara dos Deputados foi "uma derrota para os ambientalistas". "Foi uma derrota de caráter político. Mas podemos ter esperança de que o texto aprovado sofrerá mudanças no Senado."

REDES SOCIAIS

Mobilização salva paineira

A rápida mobilização da população com o uso da rede social Facebook impediu a derrubada de uma paineira centenária em Porto Feliz (SP). A árvore seria suprimida por estar no traçado da duplicação da Rodovia Marechal Rondon (SP-300), mas o internauta Rodrigo Finott postou fotos do exemplar e protestou contra a derrubada. A mobilização chegou ao gabinete do prefeito Claudio Maffei (PT) e, depois de entrar em contato com a concessionária, ele baixou um decreto declarando "imune ao corte" a paineira existente no km 123,8 da rodovia. / ANDREA VIALLI e JOSÉ MARIA TOMAZELA

Arte no gelo pelos ursos polares

O artista plástico Mark Coreth esculpiu um urso polar de gelo em Sidney, Austrália. À medida que a obra derreter, ele quer chamar atenção para a extinção do urso polar, ameaçado pelo aquecimento global

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.