Planeta

Produtores de SC recebem para preservar mananciais

, O Estado de S.Paulo

13 Junho 2011 | 00h00

Um total de 49 produtores de São Bento do Sul (Santa Catarina) receberá recursos este ano por manter ou recuperar suas áreas de reserva legal em propriedades nas margens do Rio Vermelho. Dessa forma, eles contribuem para a preservação do manancial que abastece 75 mil habitantes. A reserva legal é a área que precisa ser preservada dentro das propriedades - na Mata Atlântica, por exemplo, deve ser de 20% dos imóveis rurais.

Esse é o primeiro mecanismo de pagamento por serviço ambiental (PSA) implantado em município catarinense. Os terrenos são avaliados por uma comissão e são analisados 18 requisitos. O pagamento é feito de acordo com a pontuação. O valor mínimo por propriedade é de 125 Unidades Fiscais do Município (o que corresponde a R$ 336,24). Até agora, foi feito o pagamento para 11 proprietários, num total de R$ 8.646,37 - o menor valor foi de R$ 336,24 por propriedade ao ano e o maior, de R$ 3.028,52.

Neste mês, a Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza e a Prefeitura de São Bento do Sul firmaram uma parceria para ampliar o pagamento por serviços ambientais. A intenção é incluir, numa segunda etapa, outras propriedades na bacia do Rio Vermelho. Também será aperfeiçoada a metodologia para valorar as propriedades.

"Vamos estabelecer uma nova forma de calcular quanto cada proprietário irá receber por proteger ou recuperar as áreas naturais em suas terras, para que esse modelo valorize ainda mais a conservação da natureza", diz a diretora executiva da fundação, Malu Nunes.

AQUECIMENTO

Gelo tem declínio nas Montanhas Rochosas

Um estudo do governo dos Estados Unidos mostra que o declínio do gelo nas Montanhas Rochosas nos últimos 30 anos foi mais significativo do que em qualquer outro período nos últimos 1.000 anos. Segundo o trabalho, essa queda na quantidade de gelo é o prenúncio da pressão sobre o abastecimento de água no verão para mais de 70 milhões de pessoas no oeste do país. Pode ser atribuído ao aquecimento incomum na primavera - resultado das mudanças climáticas provocadas pelo homem. "Quanto mais aumentamos a temperatura, mais cedo derretemos a cobertura de neve", diz Gregory Pederson, autor do estudo.

RIO MADEIRA

Qualidade da água será monitorada

O Rio Madeira, nas áreas de influência da usina hidrelétrica Santo Antônio, é objeto de uma pesquisa para monitorar a qualidade da água e o nível de mercúrio do rio, assim como o comportamento das águas e do solo antes e durante a geração de energia. Para o estudo são utilizados um laboratório flutuante, que chega às regiões de acesso fluvial, e duas balsas de monitoramento em tempo real. O programa conta com investimentos de R$ 7,5 milhões da Santo Antônio Energia, concessionária que está construindo a usina. / AFRA BALAZINA e ANDREA VIALLI, com AGÊNCIAS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.