Planeta

Vida marinha pode enfrentar grande extinção, diz estudo

, O Estado de S.Paulo

21 Junho 2011 | 00h00

A vida marinha está em "grave perigo" de entrar em uma fase de extinção sem precedentes, em razão de fatores como pesca excessiva, poluição, vazamentos de produtos tóxicos e as mudanças climáticas.

É o que aponta estudo apresentado ontem na Universidade de Oxford, na Inglaterra, por 27 cientistas que fazem parte do Programa Internacional sobre o Estado dos Oceanos (Ipso, na sigla em inglês). Segundo o diretor do Ipso e professor de biologia em Oxford, Alex Rogers, as descobertas são "chocantes."

"Ao somar todos os efeitos cumulativos que o homem causa ao oceano, vimos que as implicações são muito piores do que prevíamos", disse Rogers. Entre esses efeitos, ele cita as interações entre poluentes e resíduos plásticos que se depositam no fundo dos mares e se tornam alimento para as espécies.

Outro dado alarmante é de que os níveis de dióxido de carbono que estão sendo absorvidos pelos oceanos já são bem maiores que aqueles registrados durante a grande extinção de espécies marinhas, há 55 milhões de anos.

SERRA DO MAR

Polícia Ambiental terá reforço na fiscalização

Desde ontem, a Polícia Militar Ambiental aumentou o número de viaturas em operação para fiscalizar o Parque Estadual da Serra do Mar. São 14 novos carros, que devem reforçar a atuação dos policiais ambientais nos municípios que contemplam o Parque Estadual da Serra do Mar, entre eles os da Baixada Santista (Guarujá, Bertioga, Santos, Cubatão, Itanhaém, Mongaguá, Praia Grande, Peruíbe, Itariri e Pedro de Toledo), do litoral sul (Miracatu, Iguape, Cananeia e Ilha Comprida), litoral norte (Caraguatatuba, Ubatuba, São Sebastião, Ilhabela) e Vale do Paraíba (São Luiz do Paraitinga, Natividade da Serra e Cunha).

EXTINÇÃO

EUA tentam salvar coelho-pigmeu

Especialistas farão um último esforço para salvar o ameaçado coelho-pigmeu, espécie que cabe na palma de uma mão e foi considerada extinta na natureza em 2004 na região da bacia do Rio Columbia (EUA). O coelho-pigmeu é o menor coelho na América do Norte - os adultos pesam aproximadamente 1 quilo. Cerca de cem coelhos da espécie serão reintroduzidos na área. O esforço anterior para reintroduzir o coelho-pigmeu ocorreu em 2007, mas terminou mal: eles foram rapidamente devorados por seus predadores. / ANDREA VIALLI, COM AGÊNCIAS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.