Planeta

Ministro de Minas e Energia defende novas usinas nucleares

, O Estado de S.Paulo

16 de setembro de 2011 | 00h00

O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, defendeu ontem, no Rio, a continuidade dos projetos de construção de usinas nucleares no Brasil, "a despeito dos acidentes ocorridos lá fora", como o de Fukushima, no Japão, em abril, e o da França, nesta semana. Em São Paulo, o presidente da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Maurício Tolmasquim, afirmou, no entanto, que o programa está sendo reavaliado. "O plano de médio prazo previa a construção de quatro novas usinas até 2030, mas essa questão está em suspensão por conta de Fukushima", disse.

Apesar de rever a construção das quatro usinas, o executivo afirmou que o governo não descarta investimentos em energia nuclear. "Estamos vendo o que está acontecendo no mundo para tomar uma decisão cautelosa. Não temos pressa." Segundo ele, a matriz elétrica brasileira nos próximos anos deverá ser constituída de hidrelétricas, usinas eólicas, de biomassa e térmicas à gás.

Para o ministro de Minas e Energia, os acidentes no exterior sinalizam os riscos a ser evitados. "Aprendemos um pouco mais com cada acidente", disse Lobão. Falando especificamente de Fukushima, destacou que foi uma "fatalidade, uma tragédia de causas naturais". "Houve um tsunami, um terremoto. E o gerador a diesel não funcionou. Se tivesse funcionado, a usina estaria em segurança. Mas o nosso sistema no Brasil já nem prevê esse tipo de gerador."

Lobão disse que a construção das quatro usinas está mantida, e o governo analisa onde elas serão instaladas. Pelo menos duas delas ficarão no Nordeste e outras duas, no Sudeste.

PARÁ

Jovens naturalistas serão premiados

Será lançado hoje pelo Museu Paraense Emilio Goeldi e a ONG Conservação Internacional a quinta edição do Prêmio José Ayres para Jovens Naturalistas. O prêmio é voltado a alunos de escolas públicas e particulares que queiram realizar trabalhos científicos sobre a fauna e a flora dos municípios paraenses. Serão premiados os três melhores trabalhos em duas categorias - ensino fundamental e ensino médio. Os vencedores ganham notebook (primeiro lugar), máquina fotográfica digital (segundo lugar) e bicicleta (terceiro). Também são premiados professores e escolas. / FÁBIO GRELLET, KELLY LIMA e AFRA BALAZINA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.