Planeta

Agricultor tem proteção policial em reserva no PA

, O Estado de S.Paulo

17 de setembro de 2011 | 00h00

O agricultor Raimundo Belmiro, líder da comunidade da Reserva Extrativista (Resex) do Riozinho do Anfrísio, na Terra do Meio, no Pará, recebeu proteção policial após voltar a ser ameaçado de morte por defender a reserva da ação de grileiros. Um policial militar e um civil fazem sua segurança pessoal desde a semana passada. De acordo com o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), autarquia do Ministério do Meio Ambiente que administra a reserva, também foram intensificadas as operações de fiscalização na região para coibir os crimes ambientais. Há pelo menos sete anos o líder extrativista sofre ameaças de morte por resistir à ação de grupos criminosos que atuam principalmente na localidade de Trairão, nos fundos da reserva. Esses grupos são acusados de desmatarem a floresta para comercializar a madeira e grilar as terras. No mês passado, uma nova ameaça de morte foi conhecida por meio de um depoimento de um usuário da reserva, gravado em áudio por um servidor do ICMBio. O coordenador de fiscalização do ICMBio, Leonardo Messias, diz que já foram apreendidos na região equipamentos como motosserra e tratores, além de cerca de 2.000 m³ de madeira - a maior parte ipê, que possui alto valor comercial. Dois seguranças que receberam os fiscais à bala foram presos.

LIXO

Voluntários farão limpeza de praias e rios

Hoje é o Dia Mundial de Limpeza de Rios e Praias e quase 10 mil voluntários devem participar da mobilização em mais de 400 km de margens de praias, rios, lagos e lagoas. No ano passado, cerca de 9 mil voluntários recolheram 47 toneladas de lixo em 20 cidades brasileiras.

No Rio, a Coca-Cola Brasil montará uma tenda na Praia do Arpoador, no Posto 7, e devem comparecer aproximadamente 200 voluntários. Na Lagoa Rodrigo de Freitas, a Federação Nacional das Empresas de Serviços e Limpeza Ambiental promove uma faxina mobilizando 180 pessoas. A entidade realiza mutirão em 15 capitais, incluindo Manaus, Belo Horizonte, Cuiabá e Campo Grande.

DESCOBERTA

Novo líquen é achado no litoral de SP

A pesquisadora Patrícia Jungbluth, da Universidade Estadual Paulista (Unesp), descobriu uma nova espécie de líquen no litoral do Estado. Ela resulta da simbiose entre um micobionte (fungo) e um fotobionte (algas verdes ou cianobactérias). A espécie foi chamada de Pyxine jolyana - numa homenagem ao professor Carlos Alfredo Joly, que coordena o programa Biota, da Fapesp, e deu aulas para a pesquisadora na Unicamp. Patrícia identificou a espécie em Peruíbe, Ubatuba e São Luís do Paraitinga, quando fazia doutorado. Os líquens são úteis como bioindicadores da qualidade do ar. / AFRA BALAZINA e KARINA NINNI

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.