Plano de venda de patentes da Kodak conquista aprovação legal

A proposta de venda das patentes relacionadas a imagens digitais da Eastman Kodak por 525 milhões de dólares à Intellectual Ventures e à RPX conseguiu a aprovação de um tribunal de falência nesta sexta-feira, deixando a empresa do segmento de fotografia mais perto de abandonar a concordata.

NICK BROWN, Reuters

11 de janeiro de 2013 | 17h07

O preço é uma fração dos mais de 2 bilhões de dólares que a Kodak esperava levantar com as patentes quando pediu concordata em janeiro de 2012. No entanto, os recursos permitem que a companhia dê procedimento a um plano para assegurar 830 milhões de dólares em financiamento e deixar a concordata no primeiro semestre deste ano.

O juiz Allan Gropper aprovou a decisão em uma audiência no Tribunal de Falência de Manhattan.

"Estamos decepcionados com o preço, mas vamos adiantar o caso", disse Gropper.

A Intellectual Ventures e a RPX lideram um consórcio que reúne algumas das maiores companhias tecnológicas do mundo, incluindo Adobe, Amazon.com, Apple e Fujifilm.

O acordo, anunciado em dezembro, permite o licenciamento de patentes, a resolução de casos legais relacionados a patentes e a elaboração de um acordo inter-licenciado entre a Kodak e a Fuji. A Kodak disse estar satisfeita com a aprovação do tribunal.

"A monetização de ativos de propriedade intelectual que não pertencem às nossas operações principais realiza um importante objetivo de reestruturação da Kodak, ao mesmo tempo posicionando suas operações de imagens comerciais para mais crescimento e sucesso", disse a empresa em comunicado.

Tudo o que sabemos sobre:
TECHKODAKLEGAL*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.