Plano individual pode ser reajustado em até 7,93%

Os planos de saúde individuais ou familiares podem ser reajustados em até 7,93%, autorizou ontem a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). O reajuste se aplica a contratos firmados a partir de janeiro de 1999 ou adaptados à lei 9.656/98 e atinge 8 milhões de usuários (17% dos consumidores). Contratos coletivos não são afetados pela medida.

FÁBIO GRELLET / RIO, O Estado de S.Paulo

29 de junho de 2012 | 03h08

O reajuste vale a partir de maio, mas só pode ser cobrado na data de aniversário do contrato. Planos que fizeram aniversário a partir de maio e já emitiram boletos sem reajuste podem cobrar retroativamente nos meses seguintes, respeitando o prazo máximo de quatro meses.

Assim, a operadora tem até agosto para cobrar a diferença relativa ao reajuste de um contrato que fez aniversário em maio. Em setembro, a operadora só poderá cobrar o reajuste retroativo a junho e aos meses seguintes.

Crítica. O reajuste foi criticado pelo Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) porque está acima da inflação no período (5,12%, segundo o Índice Geral de Preços ao Consumidor Amplo, medido pelo IBGE).

A ANS afirma que o índice engloba itens que impedem a comparação com a inflação, como a frequência de uso dos serviços.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.