PM abre inquérito para apurar morte de fuzileiro no RJ

Um Inquérito Policial Militar foi aberto para apurar a morte de um oficial da Marinha, na noite de ontem, durante um treinamento na base da Força de Fuzileiros Navais, na Ilha do Governador, zona norte do Rio. Em nota divulgada hoje, o 1º Distrito Naval informou que o segundo-tenente Ricardo Gonçalves Brogin, de 27 anos, morreu depois de apresentar "mal súbito, seguido de parada respiratória" durante um treinamento do Curso Especial de Comandos Anfíbios. Ele foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Paulino Werneck, na Ilha, onde a morte foi constatada pelos médicos.

ALEXANDRE RODRIGUES, Agencia Estado

03 Julho 2009 | 16h43

A família de Brogin vive em Braúna, no interior paulista, para onde o corpo será encaminhado ainda esta noite para o velório e funeral. Segundo o pai do militar, Darcy Brogin, o filho foi retirado desacordado de uma piscina do centro de treinamento da Divisão Anfíbia. Ele diz não ter motivos para desconfiar de negligência ou excessos nos exercícios. O militar paulista estava há oito anos na Marinha. "Ele era saudável, bem preparado. Na turma de natação foi o segundo colocado. Não tem como explicar. Realmente só o laudo do Instituto Médico Legal (IML) do Rio vai poder dizer o que aconteceu", disse.

Mais conteúdo sobre:
morte fuzileiro Marinha Rio

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.