PM descobre fábrica de falsificar dinheiro no Paraná

Na casa havia R$ 95 mil em notas falsas de R$ 50, além de armas e equipamentos; uma pessoa é presa

Evandro Fadel, Agencia Estado

12 de dezembro de 2007 | 11h52

A Polícia Militar do Paraná encontrou, na noite de terça-feira, 11, equipamentos para a confecção de dinheiro falsificado em uma casa no Bairro Boa Vista, em Curitiba. Na casa havia R$ 95 mil em notas falsas de R$ 50, além de computador, impressoras, agendas sobre movimentação financeira e nomes de cliente e duas armas.   José Adilson de Oliveira, de 22 anos, confessou ser o dono do material. Ele foi preso e encaminhado à Polícia Federal, a quem compete a continuidade das investigações. De acordo com a polícia, cada nota de R$ 50 era vendida por R$ 20.   A polícia chegou à "fábrica" de dinheiro após prender Lyon Enrigo de Macedo Pereira, de 19 anos, que tentava passar dinheiro falso em uma loja no Bairro Alto da XV. Ele contou onde tinha conseguido as 11 notas de R$ 50 que carregava no momento. "Era um 'banco central' caseiro", disse o tenente Wagner de Araújo.   A casa com dois pisos e ainda inacabada não chamava a atenção. Segundo a polícia, normalmente uma pessoa ficava sobre a laje para avisar sobre possível aproximação de policiais. Na terça-feira, em razão da chuva, ninguém estava a postos.   A polícia entrou na casa por volta das 22 horas e não houve resistência. No quarto de Oliveira foram encontradas as notas falsas. "A falsificação era compatível com as notas originais, tudo era bem feito", disse Araújo. "Estruturalmente, as células são perfeitas em todos os aspectos como textura, tintura e itens de segurança."   Desse quarto para um outro a passagem é feita por uma portinhola escondida em uma estante. Ali foram encontradas duas pistolas e munição. Oliveira indicou outro cômodo onde estavam o computador, duas impressoras, o programa de confecção de notas e outros equipamentos.   Matéria ampliada às 14h51

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.