PM do Rio vai atuar com 14 mil homens por dia na Jornada

A Polícia Militar do Rio vai empregar 14 mil policiais por dia no esquema de patrulhamento da Jornada Mundial da Juventude, que será realizada de 23 a 28 de julho. A Praia de Copacabana, na zona sul, receberá o maior efetivo, com 1.500 homens por dia nos dois grandes eventos programados: a cerimônia de acolhida, na quinta-feira, 25, e a via crúcis, na sexta, 26.

MARCELO GOMES, Agência Estado

19 de julho de 2013 | 12h42

Os dois atos terão a presença do papa Francisco, com estimativa de público de 1,5 milhão de fiéis por dia. Na terça, 23, o arcebispo do Rio, dom Orani Tempesta, celebrará a missa de abertura da Jornada, mas o pontífice não estará presente. A PM terá ainda o apoio de 30 torres de observação, com cinco policiais em cada, além de viaturas e motocicletas. Policiais farão patrulhamento à pé em todas as ruas do bairro de Copacabana.

No Complexo de Favelas de Manguinhos, na zona norte, cerca de 500 homens vão acompanhar a visita do papa à comunidade da Varginha, na quinta-feira (25).

Em Guaratiba, na zona oeste, aproximadamente mil policiais vão atuar no patrulhamento. Serão realizados no bairro a vigília (no sábado, 27) e a missa de encerramento da Jornada (no domingo, dia 28). O público esperado também é de 1,5 milhão de pessoas por dia. Será montado em Guaratiba um Centro de Comando e Controle da PM para monitoramento do público. Desse efetivo, 270 vão ocupar as favelas de Antares, do Rola, do Cesarão e do Aço, na zona oeste. Dois blindados e 14 viaturas vão apoiar o patrulhamento nesses locais.

Todos os deslocamentos do papa serão acompanhados por 400 policiais militares. Dois helicópteros também vão monitorar os percursos.

Transporte público

O policiamento também será reforçado nos principais terminais de transporte público. A Polícia Militar recomenda a população que chegue com antecedência aos locais, priorizando o transporte público e redobrando a atenção com crianças, identificando-as. A PM também orienta a não utilizar recipientes de vidro e fogos de artifício.

Mais conteúdo sobre:
JMJsegurançatransporte

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.