PM faz reintegração de posse em terreno de Campinas

A Polícia Militar cumpre mandato de reintegração de posse, na manhã desta quinta-feira, em uma área às margens do Anel Viário José Roberto Magalhães Teixeira, em Campinas, no interior de São Paulo. O terreno era ocupado por 42 duas famílias desde julho do ano passado. Cerca de 130 policiais participaram da desocupação, que foi pacífica.

RICARDO BRANDT, Agência Estado

17 de janeiro de 2013 | 11h21

Os sem-teto afirmam não ter onde morar e decidiram não aceitar a proposta feita pela prefeitura de Campinas de irem para um abrigo usado para amparar moradores de ruas. "Não aceitamos ser levados para um abrigo de viciados e moradores de rua. Somos famílias com crianças aqui. Vamos fazer uma passeata até a prefeitura e acampar por lá até que o prefeito Jonas Donizette dê uma solução para o problema", disse Lucas Hernani, de 33 anos, um dos coordenadores do Residencial Nova Aliança, nome dado à invasão.

O terreno, às margens do anel viário, que liga as rodovias Anhanguera e D. Pedro I, é particular e a Justiça determinou, em outubro de 2012, que os invasores fossem retirados do local. Com ajuda do helicóptero Águia, oficiais da cavalaria e do canil, os policiais ocuparam o terreno por volta das 9 horas desta quinta-feira.

Os barracos começaram a ser derrubados com a ajuda de um trator. Integrantes da invasão atearam fogo em alguns dos barracos. Na terça-feira (15), os sem-teto fizeram um protesto contra a reintegração de posse. Eles fecharam os dois sentidos do anel viário com uma barricada de pneus e atearam fogo.

Para evitar que a pista fosse novamente ocupada, um cordão de isolamento com policiais foi montado pela PM às margens da rodovia. A Concessionária Rota das Bandeiras, que administra a rodovia, registrou lentidão de três quilômetros no trecho, por causa do fechamento de uma das pistas, mas sem congestionamento.

Tudo o que sabemos sobre:
reintegração de posseCampinasSP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.