PM prende 13 em ações contra crime organizado no Rio

O segundo balanço da Polícia Militar (PM) no Rio de Janeiro, divulgado na tarde de hoje, mostra que 13 pessoas foram presas nas operações da corporação. Além disso, 12 morreram em confronto com policiais. Um agente da PM ficou ferido. Foram apreendidas dez armas e drogas.

SOLANGE SPIGLIATTI, Agência Estado

24 de novembro de 2010 | 16h19

Do total de mortes, oito ocorreram nas operações em Guaxa e Jardim Floresta, em Belford Roxo, na Baixada Fluminense. Duas pessoas foram presas e a PM apreendeu um fuzil AR15, três pistolas 9mm, uma pistola 380, uma espingarda calibre 12, uma pistola 40, uma submetralhadora calibre 9mm e três mochilas com drogas.

Outras três pessoas morreram no Morro do Faz Quem Quer, onde duas pistolas e um revolver foram apreendidos. Em Tuiuti, uma pessoa morreu e duas pistolas 380 foram recolhidas. No Morro do Encontro, foi registrada uma prisão.

Na Vila Kennedy, na zona oeste da cidade, um suspeito foi detido. Foram encontradas uma granada, duas bombas caseiras, uma garrafa pet com material inflamável e uma moto foi recuperada. Em Anchieta, duas pessoas foram presas.

No Morro da Fé, um PM acabou baleado no braço direito e foi levado, inicialmente, para o Hospital Getúlio Vargas, e depois transferido para o Hospital central da corporação. Ele passa bem, segundo a PM.

Duas pessoas foram presas em Antares, onde uma grande quantidade de drogas ainda não contabilizadas (maconha, crack e lança perfume) foi apreendida. Em Rolas, cinco foram detidos, entre eles um que foi reconhecido como participante da queima de um ônibus.

Catanduvas

O Tribunal de Justiça do Rio (TJ-RJ) autorizou ontem a transferência de oito presos do Estado para a penitenciária federal de Catanduvas, no Paraná. Segundo o TJ, serão levados Willian Rodrigues Vieira, o "Robocop"; Márcio Aurélio Martinez Martelo, chamado de "Bolado"; e Antonio Jorge Gonçalves dos Santos, o "Tony Senhor das Armas".

Também serão transferidos para o Paraná Wanderson da Silva Brito, conhecido como "Paquito"; Roberto Célio Lopes, o "Robertinho do Vigário"; Marcelo Tavares da Silva, o "Marcelo Abóbora"; Claudio Henrique Mendes dos Santos, também conhecido como "Chuca ou Dr. Santos"; e Mauri Alves Ribeiro Filho, o Cocó.

Tudo o que sabemos sobre:
violênciaataquesprisõesPMRio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.