PMs acusados de execução em cemitério ficarão presos

Os policiais militares Felipe Daniel Silva e Ailton Vital da Silva, acusados de assassinar um rapaz no cemitério de Ferraz de Vasconcelos (SP), ficarão presos durante o julgamento do processo. A 16ª Câmara de Direito Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) negou o pedido de liberdade provisória para os acusados na terça-feira.

MARCELA GONSALVES, Agência Estado

14 de julho de 2011 | 15h21

Segundo a denúncia, os policiais teriam assassinado Dileone Lacerda de Aquino, em 12 de março deste ano, no cemitério Parque das Palmeiras. Eles foram presos graças à denúncia de uma mulher que presenciou o crime e acionou o Centro de Operações da Polícia Militar (Copom). Os dois foram denunciados e estão sendo processados pela 2ª Vara Judicial de Ferraz.

Em seu voto contra o habeas corpus, o relator do pedido entendeu que a prisão dos suspeitos foi decretada com base na necessidade de preservação da ordem pública, além do fato de estar evidenciada a gravidade do delito.

Tudo o que sabemos sobre:
PMsexecuçãocemitérioprisãoSP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.