Pnad: trabalho infantil cai onde há verba social

O trabalho infantil teve redução entre os domicílios que recebem dinheiro de programa social em 2006, segundo mostra o suplemento da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) divulgado hoje pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Entre as pessoas com até 17 anos de idade, a pesquisa observou que o nível de ocupação foi maior para os domicílios em que houve recebimento de dinheiro de programa (14,4%), contra 9,6% observado nos domicílios onde não houve recebimento. O levantamento revela que esse comportamento se repetiu nas cinco regiões, sendo que o maior nível de ocupação nessa faixa etária entre os que recebiam dinheiro de programa foi verificado no Nordeste (16,8%).Em relação às pessoas com 10 anos ou mais de idade ocupadas, a maior proporção de trabalhadores na atividade agrícola foi observada nos domicílios com recebimento de rendimentos de programas frente aos demais domicílios. Em 2006, o percentual de ocupados nessa atividade foi de 19,3% no total dos domicílios, mas sobe para 40,4% nos domicílios com recebimento de benefício de programa, e cai para 13,8% nos domicílios sem recebimento.

JACQUELINE FARID, Agencia Estado

28 de março de 2008 | 10h44

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.