Polícia acredita que falha mecânica derrubou helicóptero em Goiás

Aeronave que caiu nesta terça-feira, 8, transportava o acusado de comandar uma chacina em Doverlândia

Rubens Santos, Agência Estado

09 Maio 2012 | 15h03

GOIÂNIA - Uma falha mecânica teria provocado o acidente aéreo que matou oito pessoas em Goiás. A Polícia Civil aponta a falha como a causa da queda da aeronave, que caiu na tarde desta terça-feira, 8. Entre os mortos está Aparecido de Souza Alves, de 22 anos, acusado de matar sete pessoas numa fazenda em Doverlândia.

Também estavam no helicóptero os delegados Antônio Gonçalves Pereira dos Santos e Bruno Rosa Carneiro, Osvalmir Carrasco Melati Júnior, piloto da aeronave, Jorge Moreira da Silva, delegado Titular da Delegacia Estadual de Repressão a Roubos de Cargas, Vinícius Batista da Silva, delegado de Iporá e os peritos Marcel de Paula Oliveira e Fabiano de Paula Silva.

O helicóptero Koala AW119 Mk-II Enhanced, fabricado pela anglo-italiana AgustaWestland, caiu 15 minutos após decolar da fazenda N.S. Aparecida, em Doverlândia.

No local, a polícia fazia uma segunda reconstituição da chacina, em que Aparecido Alves matou sete pessoas. A aeronave caiu, por volta das 16h, na fazenda Rancho Alegre, a 30 quilômetros de distância do município de Piranhas, região sudoeste do Estado.

O professor Raul Francé Monteiro, coordenador do curso Ciências Aeronáuticas da PUC-GO disse que tudo indica que o helicóptero desceu manobrando desordenadamente, e uma hélice se desprendeu.

Mais conteúdo sobre:
Acidente Helicóptero Resgate

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.