Polícia brasileira leva à prisão de pedófilos em Israel

Trinta suspeitos de crimes de pedofilia foram presos com ajuda do Brasil

Guila Flint, BBC

14 de abril de 2008 | 08h10

A polícia de Israel prendeu nesta segunda-feira 30 suspeitos de divulgar material de pedofilia pela internet, baseando-se em informações recebidas da polícia brasileira. A porta-voz da polícia israelense, Michal Haim, disse à BBC Brasil que Israel colabora com a polícia do Brasil no combate à pedofilia pela internet e os dois lados trocam informações sobre arquivos baixados em computadores nos dois países. "Existe uma colaboração constante entre as policias de Israel e do Brasil, recebemos dados sobre computadores em Israel que baixaram arquivos de pedofilia e também fornecemos dados sobre crimes semelhantes ocorridos no Brasil", disse a porta-voz. "Os crimes foram cometidos pela internet, os suspeitos são israelenses e não estiveram no Brasil", acrescentou. De acordo com a policial os suspeitos foram presos em diversos lugares do país e não há relação entre eles. A porta-voz afirmou que os suspeitos presos nesta segunda-feira não eram conhecidos e não tinham antecedentes registrados de crimes de pedofilia. A polícia israelense também informou que nas casas dos suspeitos foram encontrados materiais de mídia digital e computadores que comprovam o envolvimento nos crimes. Esta é a terceira operação em que dezenas de suspeitos de pedofilia pela internet são presos em Israel. Em janeiro e março deste ano foram realizadas duas operações semelhantes, nas quais a polícia israelense prendeu 40 pessoas, depois de receber informações, pela Interpol, de vários países europeus. O departamento de inteligência da polícia israelense anunciou no início de 2008 que iria combater a pedofilia pela internet e, segundo o departamento, a prisão dos suspeitos pode diminuir o fenômeno da pedofilia em Israel.   BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
BrasilIsraelpedofilia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.