Polícia do Rio matou 694 pessoas no primeiro semestre de 2007

Número de mortes aumentou 33,5% em relação a 2006; semestre tem o maior número de mortes desde 2000

Solange Spigliatti, do estadao.com.br,

19 de outubro de 2007 | 12h58

Os policiais civis e militares mataram 694 pessoas durante confrontos no Rio de Janeiro apenas no primeiro semestre de 2007, segundo balanço do Instituto de Segurança Pública do Estado (ISP). Em comparação com o primeiro semestre de 2006, houve um aumento de 33,5% no total de mortos pelas polícias. Entre as operações com maior número de vítimas está a que deixou 19 suspeitos mortos no dia 27 de junho, no complexo de favelas do Alemão, na zona norte da capital fluminense.   Veja também: Operação do Bope deixa dois mortos na Cidade de Deus OAB cobra apuração de mortes em tiroteio na Favela da Coréia Jobim elogia opção do Rio pelo 'enfrentamento' Mãe de menino assassinado elogia policial 'Bandido que não tem medo não conheceu o Bope', diz ex-comandante  Imagens da operação na Favela da Coréia  A operação de quarta-feira, 17, quando 12 pessoas morreram nas favelas da Coréia e do Taquaral, em Senador Câmara, na zona oeste, foi a segunda com maior número de vítimas. Além de supostos traficantes, um policial civil e uma criança de 4 anos morreram.   O primeiro semestre de 2007 ainda foi o que teve mais mortes em confrontos com a polícia na série desde 2000. Considerando a variação semestral de vítimas de homicídio doloso desde o ano 2000, o primeiro semestre de 2007 apresentou o menor número de mortes. O mesmo ocorreu com latrocínio, que também registrou o menor número de vítimas no primeiro semestre de 2007, em consideração com o mesmo período desde o ano 2000. Também aumentou em 2007 os números totais de roubos, furtos e de registros de ocorrências ante 2000.

Tudo o que sabemos sobre:
violência no RioPolícia do Rio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.