Polícia faz reconstituição de chacina em Goiás

A Polícia Civil de Goiás fez nesta quinta-feira a reconstituição da chacina que deixou sete mortos no último sábado na fazenda Nossa Senhora de Aparecida, em Doverlândia. Aparecido Souza Alves, de 22 anos, um dos executores confessos, participou da encenação do crime. No entanto, segundo a delegada-geral, Adriana Accorsi, a investigação "não avançou", porque "o rapaz não colaborou". Os peritos devem voltar à cena do crime na segunda-feira para nova reconstituição.

RUBENS SANTOS, Agência Estado

03 Maio 2012 | 21h18

Segundo Alves, o fazendeiro Lázaro de Oliveira Costa, de 57 anos, foi o primeiro a ser morto e depois foi o filho dele, Leopoldo Rocha Costa, de 22. Em seguida, Alves diz que matou quatro pessoas que chegaram à fazenda, em um Fiat Uno: Joaquim Manoel Carneiro, de 61, Miraci Alves de Oliveira, de 65, Adriano Alves Carneiro e Tâmis Marques Mendes da Silva, ambos de 24. No final, foi morto o vaqueiro Heli Francisco da Silva, de 44.

Segundo Adriana, a polícia acredita na existência de outras pessoas, além de Alves, que participaram da chacina. E elas estão divididas entre executores e mentores. "Há pessoas que participaram materialmente, mataram as sete pessoas, e há outras que arquitetaram o crime".

Mais conteúdo sobre:
chacinareconstituição

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.