Polícia fecha rádio pirata que fez apologia do crime

A Polícia Civil fechou ontem a Rádio Dinamite FM, que funcionava na frequência 99,7, em São Paulo. A rádio pirata é acusada de fazer apologia ao crime e divulgar funks proibidos e bailes na região metropolitana. De acordo com o delegado Oswaldo Nico Gonçalves, do Grupo Armado de Repressão a Roubos e Assaltos (Garra), a polícia quer saber se a rádio tem alguma ligação com integrantes da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC).

Marcelo Godoy, O Estadao de S.Paulo

08 Dezembro 2009 | 00h00

A polícia investigava a rádio havia uma semana. Com o apoio de técnicos da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), os policiais do Garra localizaram ontem a antena retransmissora da rádio no meio da Serra da Cantareira, em Mairiporã, na Grande São Paulo. O equipamento ficava no meio da mata. Ali não foi detido ninguém.

Um outro grupo de investigadores foi até uma casa na Vila Brasilândia, na zona norte de São Paulo, onde apreendeu os equipamentos que seriam usados no estúdio da rádio. O dono do imóvel em que esse material era guardado foi detido pelos policiais. Trata-se de um músico. Ele disse que recebia R$ 250 por semana para guardar o equipamento e negou qualquer relação com a rádio.

"Eles transmitiam os chamados funks proibidões e divulgavam bailes clandestinos. Faziam apologia do crime e de criminosos. O transmissor dessa rádio pirata era muito forte", afirmou o delegado Gonçalves. Desde 2005, a Polícia Civil tem conhecimento de músicas feitas em apologia ao PCC e ao crime em geral.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.