Polícia intima testemunhas do tiroteio em boate do RS

A Polícia Civil do Rio Grande do Sul vai tomar depoimentos de pelo menos 25 testemunhas do tiroteio ocorrido dentro da Stuttgart Cervejaria e Danceteria na madrugada de segunda-feira, dia 3. O conflito provocou pânico entre as 300 pessoas que se divertiam no local e deixou o saldo de um morto e 15 feridos.

ELDER OGLIARI, Estadão Conteúdo

04 Novembro 2014 | 19h32

Uma mulher ainda estava internada no Hospital de Pronto-Socorro de Porto Alegre no início da noite desta terça-feira, 4. As intimações aos feridos, proprietários da casa noturna, funcionários e seguranças serão encaminhadas a partir desta quarta-feira.

A investigação deve esclarecer como as armas entraram na danceteria, quem participou do conflito e por quais motivos. As primeiras informações indicam que dois homens renderam os seguranças e se misturaram ao público em busca de desafetos.

Pelo relato de frequentadores, uma mulher tirou revólveres de uma sacola para distribuí-los a alguns dos presentes à festa. Dois grupos rivais, suspeitos de ligações com o tráfico de drogas, trocaram tiros em meio à multidão. Cinco homens foram presos durante enfrentamento com a Brigada Militar pouco depois do incidente, mas ainda não se sabe se estavam na boate ou não. Todos serão ouvidos pelos investigadores.

Mais conteúdo sobre:
violênciaRStiroteioboate

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.