Polícia pede prisão de irmão de acrobata

A polícia pediu ontem a prisão preventiva de Anderson Guimarães de Jesus, de 39 anos, irmão do acrobata Caio Marcelo Guimarães de Jesus, de 36, encontrado morto em seu apartamento na noite de segunda-feira. Segundo o delegado Fernando Veloso, que investiga o caso, ele é o principal suspeito do crime. Anderson foi visto saindo do prédio onde Caio morava, em Santa Teresa, zona sul do Rio, na segunda-feira com uma mala. Ele ainda não foi encontrado para prestar depoimento e não compareceu ao enterro do irmão, anteontem à tarde.

Talita Figueiredo, RIO, O Estadao de S.Paulo

22 de outubro de 2009 | 00h00

A arma usada na morte do acrobata foi uma marreta, que estava no apartamento embrulhada em um saco plástico. Foram levados alguns objetos pessoais, entre eles um computador. Segundo o delegado, isso teria sido feito para enganar os policiais e fazer o crime parecer um simples latrocínio (roube seguido de morte). A marreta está sendo periciada pela polícia na tentativa de identificar impressões digitais.

Caio foi encontrado por amigos e pela namorada na noite de segunda-feira, depois de faltar a um compromisso de trabalho. A última vez que tiveram notícias dele foi no domingo de manhã, quando ele falou com a namorada por telefone.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.