Polícia pede prisão preventiva de pai e madrasta de Isabella

O pedido foi encaminhado à Justiça pela polícia, junto ao inquérito

da Redação, estadao.com.br

30 de abril de 2008 | 14h10

A polícia pediu nesta quarta-feira, 30, a prisão preventiva de Alexandre Alves Nardoni e Anna Carolina Trotta Jatobá, pai e madrasta da menina Isabella Nardoni, morta em 29 de março. O pedido foi encaminhado à Justiça pela polícia, junto ao inquérito que reúne os resultados das investigações do caso. O pedido de prisão preventiva será analisado pelo promotor Francisco Cembranelli. VEJA TAMBÉMLaudo não confirma sangue nem vômito de Isabella Defesa de casal quer perito para laudo paralelo Inquérito deve dizer que ciúme motivou crime Donos de imóveis lucram com reconstituição  'Há mais que indícios' contra o casal, diz promotorFotos do apartamento onde ocorreu o crime  Cronologia e perguntas sem resposta do caso  Tudo o que foi publicado sobre o caso Isabella   O inquérito policial do caso Isabella chegou nesta quarta, ao Fórum de Santana, na zona norte de São Paulo, trazido por dois policiais do 9º DP, em carro do Departamento de Polícia Judiciária da Capital (Decap). São cerca de 1.100 páginas do inquérito e o relatório final das investigações. A polícia também pode, eventualmente, pedir a prisão preventiva do casal Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá, indiciados pelo homicídio.  Os documentos foram protocolados e encaminhados à Promotoria de Justiça, onde o promotor Francisco Cembranelli terá acesso e decidirá se denuncia ou não à Justiça o casal pelo homicídio de Isabella Nardoni de 5 anos, em 29 de março. Cembranelli ainda não chegou ao Fórum, onde trabalha, mas disse anteriormente que vai aproveitar o feriado prolongado para estudar o assunto e já prometeu uma decisão até o início da próxima semana.   

Tudo o que sabemos sobre:
Caso Isabella

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.