'Polícia prendeu dois inocentes', diz pai de Anna Jatobá

Alarmadas pelo noticiário da TV, cerca de mil pessoas tomaram a Rua Timóteo Penteado, na Vila Galvão

da Redação, estadao.com.br

08 de maio de 2008 | 08h40

Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá, pai e madrasta da menina Isabella Nardoni, que tiveram a prisão preventiva decretada na quarta-feira, 6, pelo juiz Maurício Fossen, do 2º Tribunal do Júri de São Paulo, decidiram se entregar à noite no apartamento da família Jatobá, em Guarulhos. Quando desceram para a garagem, às 22h30, Alexandre e Anna Carolina foram algemados. Eles estavam acompanhados dos respectivos pais, Antônio Nardoni e Alexandre Jatobá. O pai da madrasta ficou transtornado ao ver a filha sair na viatura.     VEJA TAMBÉM Imagens da prisão de Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá  Leia a conclusão da Justiça sobre o inquérito policial 'Nada muda' na defesa do casal Nardoni, dizem advogados Fotos do apartamento onde ocorreu o crime  Cronologia e perguntas sem resposta do caso  Tudo o que foi publicado sobre o caso Isabella   "Fui o último da família a conversar com ela. Eu disse: 'Te amo, filha'. Ela entrou no carro, mesmo sendo inocente. A polícia prendeu dois inocentes." Com a saída dos acusados, em carros separados, o cordão de isolamento, criado após um grupo jogar ovos em carros de polícia, começou a se desfazer.Alarmadas pelo noticiário da TV, cerca de mil pessoas tomaram a Rua Timóteo Penteado, na Vila Galvão, em Guarulhos, diante do edifício em que moram os Jatobás. Elas esperavam presenciar o momento em que o casal se entregaria à polícia e deixaria o local. Muitas pessoas gritavam frases agressivas, como "Vamos linchar!", "Justiça!" e "Vamos matar!". A maioria dos curiosos era de mulheres e crianças. Para evitar o tumulto que se instalou na área, cerca de 50 policiais isolaram a entrada do prédio.Mas nada impediu o tumulto e a correria após a saída do casal. A polícia teve de usar gás pimenta contra um grupo de pessoas que rompeu o cordão de isolamento e invadiu o edifício em que reside a família Jatobá em Guarulhos.

Mais conteúdo sobre:
Caso Isabella

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.