Polícia sul-coreana faz buscas na casa do presidente da Samsung

Corporação é acusada de ter fundo de US$ 200 milhões para subornos.

BBC Brasil, BBC

15 de janeiro de 2008 | 12h55

Investigadores fizeram buscas na casa de Lee Kun-hee, presidente do grupo Samsung, o maior conglomerado da Coréia do Sul, depois de acusações de corrupção na companhia.Os investigadores também fizeram operações de busca na sede da corporação e apreenderam documentos.A investigação foi iniciada depois de o ex-advogado chefe da Samsung ter revelado que a corporação mantinha um fundo com cerca de US$ 200 milhões para subornar funcionários do governo, promotores e juízes.A companhia nega as acusações.Segundo o correspondente da BBC para o leste da Ásia Steve Jackson esta foi a primeira vez que os investigadores fizeram buscas na casa do presidente da empresa.Jackson acrescenta que a Samsung não é a primeira grande corporação do país a ser acusada de corrupção.Em setembro de 2007 o presidente da Hyundai foi considerado culpado de apropriação indébita. Mas a Justiça suspendeu a sentença de três anos de prisão, alegando que iria prejudicar a economia da Coréia do Sul.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.