Polônia ameaça metas de redução de carbono da UE

Os ministros de Meio Ambiente dos 27 países da União Europeia se reúnem hoje em Bruxelas, Bélgica, para aprovar o roteiro de corte de emissões de gases-estufa até 2050. Apresentado em março de 2011 pela Comissão Europeia, ele prevê 95% de cortes de emissões até meados do século.

O Estado de S.Paulo

09 Março 2012 | 03h04

Mas as tentativas dos diplomatas da UE, que lutam para firmar um compromisso conjunto, podem ser prejudicadas pela relutância da Polônia em aceitar qualquer menção a metas de redução de carbono entre 2020 e 2050.

O país concordara com as metas para 2050 estipuladas em um encontro da UE em 2009, mas reluta em aceitar os degraus intermediários do roteiro de corte de emissões (25% até 2020, 40% até 2030 e 60% até 2040).

Para se prevenir de um veto polonês, a presidência da UE omitiu a referência à meta de 25% de corte até 2020, mas isso não parece ter arrefecido a resistência da Polônia, que depende do carvão para gerar mais de 90% de sua eletricidade. Enquanto algumas nações do centro e do leste do continente são simpáticas às preocupações do país, outras, como Grã-Bretanha, Alemanha e França, não desistiram do roteiro de cortes de emissões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.