Poluição aumenta número de hospitalizações em Hong Kong

Um estudo da Universidade da Chinarelacionou, pela primeira vez a poluição ambiental de Hong Kong com oaumento de hospitalizações, principalmente de fumantes, porproblemas respiratórios, informa a imprensa local. Segundo os médicos, a obstrução pulmonar crônica, uma combinaçãode bronquite e enfisema, é a quinta maior causa de morte naex-colônia britânica. "Os números mostram que o ozônio tem o maior impacto entre oscinco maiores poluentes ambientais", comentou a professora Fanny Ko,em entrevista ao jornal The Standard."O mais preocupante é o nível de poluentes ambientais(ozônio, dióxido de nitrogênio, dióxido de enxofre e partículasrespiráveis em suspensão, PM10 e PM2,5), acima dos padrões de 2005 daOrganização Mundial da Saúde (OMS)", prossegue o artigo. A concentração de dióxido de nitrogênio no inverno em Hong Kongfoi de 52,32 miligramas por metros cúbicos. A OMS calcula que omáximo saudável é de 40. As partículas PM10 ficaram em 67,8miligramas por metros cúbicos, acima dos 50 tolerados pela OMS. O estudo mostrou que entre 2000 e 2004 a baixa temperatura nacidade, aliada a uma maior concentração de poluentes, aumentou onúmero de hospitalizações. A maioria dos pacientes tinha umhistórico de fumante. A OMS calcula que a poluição do ar causa 2 milhões de mortesprematuras por ano, no mundo todo.

Agencia Estado,

07 de março de 2007 | 16h26

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.