Pomares substituíram cafezais na região

No sítio de Francisco Adriano, a plantação de acerola tem mais de 15 anos. Um dos primeiros a plantar a fruta na região, Adriano diz que somente agora está tendo lucro. "Fomos tentando e lutando. Tivemos fracassos, arrancamos plantações de variedades que não serviram, mas, enfim, vão sobrar alguns trocados." Sua plantação é de 400 pés de acerola em 1 hectare, irrigados. Adriano diz que a acerola chegou para substituir os cafezais na região. "Nas décadas de 70 e 80, com a queda do café, nosso município, que tinha 40 mil habitantes, perdeu mais da metade da população. Quem ficou, como eu, teve de tentar alguma coisa; optamos pela acerola", conta Adriano,que tem nove filhos. A atual fase da acerola é atribuída por Adriano às boas práticas adotadas pela associação e à "perseverança dos produtores", destaca. CÂMARAS FRIAS O sucesso da acerola rendeu à associação de Junqueirópolis R$ 650 mil em recursos para investir em novos mercados. Já em janeiro, a associação porá em funcionamento três câmaras frias que aumentarão a capacidade de armazenamento de frutas de 80 para 500 toneladas/dia e de congelamento de 15 toneladas para 30 toneladas/dia. INFORMAÇÕES: Casa da Agricultura de Junqueirópolis, tel. (0--18) 3841-1332

Chico Siqueira, O Estado de S.Paulo

17 Dezembro 2008 | 02h41

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.