População aponta mau cheiro em novos trens do Metrô

Há mau cheiro em parte dos novos trens da Linha 2-Verde em São Paulo e, por enquanto, nem o Metrô conseguiu identificar a causa do problema. Passageiros têm feito reclamações à companhia de que os vagões estão impregnados com um odor típico de urina, independentemente do horário, da lotação ou da higiene pessoal dos usuários. Quem usa os trens diariamente já tem o ar condicionado como principal suspeito, embora não exista comprovação para tanto.

AE, Agência Estado

13 Junho 2011 | 09h43

O Metrô informa que técnicos da companhia estão pesquisando a origem do problema. Até que o diagnóstico seja concluído, não há previsão para iniciar um tratamento nos vagões afetados. Sobre o ar-condicionado em especial, o Metrô assegura que substitui os filtros do equipamento mensalmente, conforme orientações do fabricante.

Mais do que o ar-condicionado, são os materiais plásticos e as resinas que encabeçam a lista de suspeitas para a causa do cheiro de urina em parte dos novos trens da Linha 2-Verde. O polímero ureia-formaldeído tem ampla utilização industrial e, quando aquecido, pode liberar como residual um odor bastante característico, semelhante ao de urina.

Outra possível fonte do problema são os freios das composições que, aquecidos, liberariam mau cheiro. Nenhuma das hipóteses, no entanto, explica por que em apenas parte, não na totalidade da nova frota, o mau cheiro é tão evidente. Os novos trens o começaram a circular em março de 2009. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Mais conteúdo sobre:
metrô trens mau cheiro urina SP

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.