População foge de erupção do vulcão Tungurahua no Equador

Pelo menos dois povoados do Equador começaram uma evacuação voluntária devido à atividade do vulcão Tungurahua, que nas últimas horas lançou magma a pelo menos 500 metros de altura. O diretor do Instituto Geofísico, Hugo Yepes, disse em entrevista coletiva que o vulcão apresentou uma atividade que se caracterizou por "um grande fluxo de material magmático, com uma saída sustentada de líquido".Segundo Yepes, a erupção do Tungurahua formou uma coluna de pelo menos oito quilômetros. O diretor do Instituto afirmou que durante a tarde de sexta-feira saíram dois pequenos fluxos de lava na parte superior do vulcão. À noite houve um terceiro, que pode ter atingido a estrada que liga a cidade turística de Baños a Riobamba. Ele lembrou que os fluxos "trazem risco à população e podem ter temperaturas de até 800 a mil graus centígrados e velocidades muito altas".Yepes disse que à tarde houve uma vibração de terra relacionada com toda a energia que saía do vulcão e queda de cascalho formando uma camada de até um centímetro na região de Pillate. "A atividade continua alta. Não podemos prever até quando vai ficar assim, nem podemos descartar que aumente nas próximas horas", alertou.Baseado em dados da prefeitura de Penipe, Yepes acrescentou que "a população de Bilbao e Puela já tomou as atitudes necessárias, deixando a encosta ocidental do vulcão". Além disso, disse que a prefeitura de Pelileo pediu à população de Cusúa que abandone a localidade. A cidade turística de Baños também deve tomar precauções "até que o vulcão se estabilize".Yepes não descartou queda de cinzas até mesmo em Guayaquil, 420 quilômetros a sudoeste de Quito. Ele considerou o atual momento como uma situação de crise. O vulcão, com 5.029 metros de altitude, se encontra em seu nível máximo de atividade desde a sua reativação, em 1999.O prefeito da cidade turística de Baños, Fausto Acosta, descartou uma remoção da população e garantiu que está preparado para enfrentar a situação. Para ele, "o espetáculo do vulcão aumentou o interesse turístico". O proprietário de uma hospedaria em Baños disse que dezenas de turistas foram a uma ponte próxima ao vulcão para "ver a maravilha da erupção", que "não afetou Baños nem sequer com a queda de cinzas".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.