Popularidade de Lula passa incólume por crise política do Senado

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva mantém sua popularidade em alta, apesar da crise política nacional, informou no domingo pesquisa publicada pelo jornal Folha de S. Paulo.

REUTERS

16 Agosto 2009 | 17h58

Segundo o instituto Datafolha, para 67 por cento dos entrevistados, o governo é ótimo ou bom, variação dentro da margem de erro na comparação com a última pesquisa, feita em maio, quando Lula atingiu 69 por cento de aprovação.

O governo do petista é regular na avaliação de 25 por cento dos brasileiros, ante 24 por cento na última pesquisa.

Para 8 por cento, a administração de Lula é ruim ou péssima, contra 6 por cento verificados no levantamento anterior.

Lula está a apenas três pontos percentuais de seu próprio recorde, de 70 por cento, alcançado em novembro do ano passado. Foi o melhor resultado atingido por um presidente brasileiro desde que o Datafolha iniciou a pesquisa, em 1990.

PARLAMENTO REPROVADO

Já o Congresso atingiu índice de reprovação de 44 por cento, segundo a pesquisa. No último levantamento, esse indicador estava em 34 por cento.

A pesquisa publicada neste domingo aponta ainda que 74 por cento dos brasileiros defendem a saída de José Sarney (PMDB-AP) da presidência do Senado. Para 66 por cento dos entrevistados, o senador está envolvido em irregularidades.

Nessa seara, 36 por cento das pessoas consultadas preferem um afastamento temporário de Sarney, enquanto 38 por cento defendem a renúncia.

A pesquisa mostra a dissociação entre a popularidade de Lula e a crise no Senado. "O Lula conseguiu passar incólume pela crise, o Congresso, não", disse Mauro Paulino, diretor-geral do Datafolha, de acordo com o jornal.

A pesquisa Datafolha ouviu 4.100 pessoas entre os dias 11 e 13 de agosto.

Mais conteúdo sobre:
POLITICADATAFOLHALULA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.