Por muçulmanos, Paris proíbe festa com linguiça e vinho

Uma gigantesca festa programada para esta semana num bairro de Paris com grande população islâmica será proibida para que não provoque tumultos, disse a polícia da capital francesa nesta terça-feira.

LAURE BRETTON, REUTERS

15 de junho de 2010 | 20h18

O evento, anunciado desde o fim de maio na rede social Facebook, estava atraindo críticas de políticos e organizações cívicas, já que sua página, com mal disfarçados slogans antimuçulmanos, havia atraído mais de 7.000 membros.

O evento com linguiça e vinho --itens proibidos para muçulmanos praticantes-- seria na sexta-feira, dia que os muçulmanos habitualmente dedicam à oração, e quando ocorrerá a partida entre Inglaterra e Argélia (um país islâmico, origem de muitos imigrantes na França) pela Copa do Mundo.

Será também o 70o aniversário do famoso "Apelo do 18 de junho", feito em 1940 em Londres pelo general Charles de Gaulle, pedindo aos franceses que resistissem à ocupação nazista.

Sylvie François, principal organizadora do evento, disse que planejava um "protesto alegre" contra a interdição de ruas no bairro de Goutte d'Or, todas as sextas-feiras, para que os muçulmanos rezassem na rua, em frente a uma mesquita que fica superlotada.

Tudo o que sabemos sobre:
FRANCAFESTACANCELA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.