Por pedofilia, bispo belga tem renúncia aceita

Após admitir ter abusado sexualmente de um menor de idade por vários anos, o bispo Roger Vangheluwe, de Bruges, no norte de Bélgica, teve sua renúncia aceita ontem pelo papa Bento XVI. "Quando ainda não era bispo e também um tempo depois (de sê-lo), abusei sexualmente de um jovem próximo a mim. A vítima ainda está marcada", afirmou Vangheluwe, de 73 anos, em carta.

AFP, REUTERS E AP, O Estado de S.Paulo

24 Abril 2010 | 00h00

Monsenhor André-Joseph Léonard, líder da Igreja na Bélgica, afirmou que "somos conscientes da crise de confiança que isso vai gerar em muitas pessoas" e que, com essa decisão, a Igreja belga quer se distanciar "de uma época não muito distante, na Igreja e em outras partes, na qual se preferia o silêncio". Não se conhece outras vítimas do bispo afastado.

Vangheluwe foi afastado com base no artigo 401, parágrafo 2, do Código de Direito Canônico, que autoriza a renúncia por "doença" ou "outras razões graves". A mesma legislação permitiu que outros seis membros da Igreja fossem demitidos no último mês, entre eles o bispo irlandês James Moriarty. Para o especialista em direito canônico Davide Cito, isso "não é normal". O fato é encarado como um endurecimento do papa contra a pedofilia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.