Porta-voz do Vaticano vê chance de renovação da Igreja

O porta-voz do Vaticano Federico Lombardi disse neste domingo (28) que a experiência de ver o papa Francisco "em casa", na América Latina, falando muitas vezes em sua língua natal, espanhol, mostrou como a igreja latino-americana pode ajudar a Igreja universal a se renovar. Lombardi lembrou que a nomeação do papa foi há apenas quatro meses, período no qual suas ações têm sido observadas no Vaticano. "Agora vimos o papa no seu continente, em sua casa, falando também em sua língua (...) É a experiência de ver o papa mais espontâneo", disse. "A Igreja latino-americana pode dar à Igreja universal uma contribuição de renovação, de entusiasmo e de perspectiva de futuro", disse.

SABRINA VALLE, Agência Estado

28 de julho de 2013 | 16h21

Lombardi disse que ainda não está confirmada, oficialmente, qualquer viagem do papa para os próximos anos. O pontífice comentou durante a viagem que voltaria ao Brasil em 2017, para a comemoração dos 300 anos do Santuário Nacional de Aparecida. "Ainda não há agenda nem para o ano que vem", disse. "Tudo o que sabemos foi este comentário."

O porta-voz informou que o papa presenteou a presidente da Argentina, Cristina Kirchner, com um par de sapatinhos para seu neto, nascido há poucos dias. Cristina e a presidente Dilma Rousseff participaram neste domingo da missa na praia de Copacabana junto com outros presidentes do continente.

Lombardi disse fazer um "balanço extremamente positivo" da Jornada Mundial da Juventude no Rio. Destacou o contato do papa com os pobres e suas mensagens de como a fé vem de atitudes concretas. Ele lembrou, por exemplo, o encontro com infratores, com viciados em drogas e a visita à comunidade de Varginha. Destacou, ainda, o encontro do pontífice com bispos brasileiros e latino-americanos.

O porta-voz disse que o Papa encerra hoje o encontro com os jovens em perfeita saúde e mostrando muito vigor.

Papa Francisco, relatou Lombardi, se encontrou pela manhã com o prefeito do Rio, Eduardo Paes, de quem havia recebido as chaves da cidade no início da semana. Na cerimônia de boas-vindas, Paes havia lhe dito para fazer o que quisesse na cidade. "O senhor viu que estou fazendo o que quero", disse o papa Francisco a Paes nesta manhã, segundo o relato do porta-voz.

Mais conteúdo sobre:
JMJpapaRio de Janeiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.