Porta-voz nega que Vaticano tenha alterado a Wikipedia

Instituição foi flagrada mudando verbetes por interesse em sistema desenvolvido nos EUA

EFE

16 Agosto 2007 | 18h17

O porta-voz do Vaticano, Federico Lombardi, negou hoje que esse Estado tenha sido responsável por alterar conteúdos de algumas entradas da enciclopédia gratuita Wikipedia, que pode ser acessada e editada por qualquer pessoa com acesso à internet.   Veja também:  Estudante flagra CIA, Vaticano e Wal-Mart por trás da Wikipedia   As acusações são "privadas de toda seriedade e de toda lógica", disse Lombardi em declarações à agência de notícias italiana AGI. "É absurdo inclusive imaginar que uma iniciativa desse tipo possa ser levada em consideração".   Segundo informou hoje a cadeia pública britânica BBC, alguns organismos como a CIA (agência de inteligência americana) ou Estados como o Vaticano alteraram conteúdos da Wikipedia.   A constatação dessas alterações teria sido feita através de uma nova ferramenta, o chamado WikiScanner, que permite revelar a identidade de organizações que modificam páginas da enciclopédia virtual, que é redigida e editada pelos próprios usuários em mais de 120 idiomas.   O WikiScanner, segundo a informação da BBC, permitiu comprovar que alguém usou computadores do Vaticano para editar uma página sobre Gerry Adams, líder do Sinn Féin, o partido republicano-católico da Irlanda do Norte.   Esse usuário anônimo retirou indicações que se ligavam a artigos jornalísticos sobre o suposto achado de impressões digitais de Adams em um automóvel utilizado em 1971 em um duplo assassinato.   A seção em questão, intitulada "Novas dúvidas sobre o assassinato", desapareceu da página do líder do Sinn Féin.

Mais conteúdo sobre:
Wikipedia Web 2.0

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.