Porto Alegre: servidores mantêm greve; trens podem parar

A greve dos servidores públicos municipais de Porto Alegre chegou ao seu nono dia nesta terça-feira, 10, sem sinais de que será suspensa. Ao mesmo tempo, os funcionários da Trensurb, operadora dos trens de passageiros entre a capital gaúcha e Novo Hamburgo, ameaçam parar nos próximos dias. O primeiro jogo da Copa do Mundo no Beira-Rio, entre França e Honduras, está marcado para domingo, 15 de junho.

ELDER OGLIARI, Agência Estado

10 Junho 2014 | 18h34

As duas categorias reivindicam reajustes salariais e alguns benefícios trabalhistas. Os servidores municipais querem 20%, enquanto a prefeitura oferece 6,28%. Cerca de 300 funcionários fizeram uma passeata pelas ruas centrais durante a tarde desta terça-feira. A área mais prejudicada é a da educação, com dezenas de escolas paradas. Uma assembleia deve avaliar a proposta da prefeitura nesta Quarta-feira.

Os funcionários da Trensurb começaram a campanha salarial pedindo 22,6% de reajuste. Nesta terça-feira, uma assembleia poderia decretar a greve, mas a apresentação de uma proposta, pela empresa levou os participantes a adiar a decisão para sexta-feira. Até lá a categoria discute se aceita reposição inflacionária de 6,28% e cesta básica de R$ 190.

Mais conteúdo sobre:
greveservidoresPorto Alegre

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.