Porto da Pedra mistura cores e celebra as descobertas

Sob a batuta do carnavalesco Max Lopes, campeão à frente da Mangueira e da Imperatriz Leopoldinense, a Porto da Pedra entrará de cara nova na Sapucaí este ano. Abrindo os desfiles de hoje, a escola de São Gonçalo promete se reinventar em cores e resgatar o uso do "pede-passagem", alegoria comum nos carnavais da década de 60. "Além do vermelho-e-branco, cores do baluarte da agremiação, usaremos também o roxo e rosa, nunca antes usados pela escola", explica o carnavalesco. "E para começar com chave-de-ouro, um tigre de 60 metros abrirá passagem para a Porto da Pedra, como nos carnavais de antigamente", completa. Em um ano de tantas novidades, o enredo escolhido pela Porto da Pedra não poderia ser mais apto ao momento: "Não me Proíbam de Criar, pois Preciso Curiar! Sou o País do Futuro e Tenho Muito a Inventar!". Com 4.800 integrantes, o desfile da escola contará a história das invenções que mudaram a vida do homem. "A descoberta do fogo, da arte renascentista, do pecado original. Cada momento da evolução humana será representado pela escola", conta o coordenador de comunicação Leandro Valente. "E não serão só os momentos positivos os representados. Haverá a alegoria das guerras e da destruição". O mais aguardado dos carros da escola, o "apocalipse", está mantido em total sigilo no barracão da escola. "Será horripilante!", antecipa Valente. "Uma metáfora do fim dos tempos, caso o homem insista em destruir o planeta". "Esse é o nosso desfile. O ano da Porto da Pedra na Sapucaí", torce Lopes. A escola abre os desfiles de hoje às 21 horas. Confira a seguir o enredo da escola:"Não me Proíbam de Criar, pois Preciso Curiar! Sou o País do Futuro e Tenho Muito a Inventar!"A luz da imaginaçãoAcende o coração e o leva a curiarBuscar o novo é conceberO tempo do saber, desejo de criar...É sempre assim, o proibido traz seduçãoDo início ao fim, do paraíso a tentaçãoMeu Tigre mostra as garras nesse jogoE vê no fogo a chama da evoluçãoPandora a esperança e o amor ôôôôAlquimia do meu serNa imagem do meu criadorUm grande painel é arteEu traço a pincel meu estandarteE lá do céu vem o cinzel da perfeiçãoRenascimento da inspiraçãoComo será o amanhãQue Deus me permita ser só alegriaAos cavalheiros da destruiçãoVenha a paz e a razãoRedenção na foliaO homem sonhou e um dia voouDo gênio indomável uma nova invençãoCriança um Brasil de esperançaO mundo precisa desta salvaçãoSou Porto da Pedra e não vou me calarEu sou curioso e quero saberSe é bom para o mundo, se vai melhorarÉ proibido por quê?

GUSTAVO URIBE, Agencia Estado

23 de fevereiro de 2009 | 11h03

Tudo o que sabemos sobre:
carnavalRJPorto da Pedra

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.