Porto Feliz decreta emergência após temporal e mortes

O prefeito de Porto Feliz, Levi Rodrigues Vieira (PSD), decretou estado de emergência no município paulista, nesta segunda-feira, um dia depois do temporal que destruiu parcialmente a cidade e causou a morte de três pessoas. O documento foi encaminhado à Coordenadoria Estadual de Defesa Civil. Com o decreto, o prefeito espera obter recursos para reconstruir pelo menos doze casas que ruíram ou ficaram danificadas e recompor os estragos na área urbana.

JOSÉ MARIA TOMAZELA, Agência Estado

22 de julho de 2013 | 16h52

Ventos de 90 km por hora, acompanhados de granizo também derrubaram árvores, postes e danificaram indústrias e prédios públicos, na madrugada de domingo. O rastro de destruição atingiu os bairros Jardim Vante, Altos do Jequitibá, Vista Alegre e Casas Populares. Uma família foi atingida pelos escombros de uma casa - pai e filho morreram. A terceira morte foi a de um trabalhador, atingido por um contêiner que o vento arrancou do solo numa usina de cana de açúcar. Pelo menos oito pessoas ficaram feridas. Doze famílias continuam abrigadas em duas escolas públicas que tiveram as aulas suspensas nesta segunda-feira.

Tudo o que sabemos sobre:
Porto Felizestado de emergência

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.