Porto petroleiro de Hariga na Líbia reabre após protestos

O porto de Hariga, localizado no leste da Líbia, reativou as operações e recebeu o primeiro petroleiro, informou neste domingo um porta-voz da estatal National Oil Corp (NOC), depois que o governo pagou o salário dos guardas de segurança pública no terminal.

REUTERS

22 de junho de 2014 | 17h26

Um segundo petroleiro estava agendado para atracar, mas as negociações continuavam com os manifestantes, que alegam que Trípoli não cumpriu todas as suas demandas, disse outro porta-voz da operadora do porto.

Integrantes da estatal Petroleum Facilities Guards (PFG) têm mantido o porto de Hariga fechado por um mês, pois reclamam que não têm recebido salário há meses.

É uma das muitas interrupções petroleiras na Líbia, onde milícias, forças de segurança estatais e membros de algumas tribos tomaram as instalações para pressionar por suas demandas.

A produção de petróleo da Líbia caiu a menos de 300 mil barris por dia (bpd), frente a 1,4 milhão de bpd em julho, quando começou a onda de protestos.

(Reportagem de Feras Bosalum e Ahmed Elumami)

Mais conteúdo sobre:
COMMODITIESHARIGA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.