PÓS-CRISE?-Iedi vê recuperação econômica mas de baixa qualidade

A economia brasileira está mostrando uma recuperação robusta, mas de má qualidade, e vai continuar assim, a menos que o governo tome medidas para estimular os investimentos e as exportações, avalia o Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Industrial (Iedi).

ALUÍSIO ALVES, REUTERS

07 Agosto 2009 | 19h14

"Depois de uma crise como esta, qualquer recuperação é positiva, mas a qualidade dessa recuperação deixa muito a desejar", disse à Reuters o consultor do Iedi e ex-secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda, Júlio Gomes de Almeida.

Segundo ele, os dados mais recentes apontam que a recuperação tem se apoiado na expansão do gasto público e no consumo, o que está sendo importante para fazer o Brasil se levantar da crise numa velocidade superior à média mundial.

"A despeito dos incentivos fiscais baixados pelo governo, a economia está começando a andar por conta própria", ponderou.

Para ele, o principal motor da retomada está sendo o crédito farto, que tem estimulado o consumo das famílias.

Essa expansão, porém, ocorre num ciclo que em algum momento vai perder força. Daí a necessidade de medidas para estimular investimentos e exportações, pré-condição para um crescimento sustentado. "A recuperação está sendo lenta demais, com a indústria a passos de tartaruga", avaliou.

Pelos cálculos do Iedi, em relação a setembro do ano passado, quando a crise global se intensificou, a indústria retomou metade do ritmo perdido.

"Se continuarmos na velocidade de recuperação deste semestre, teremos uma recuperação completa nos primeiros meses de 2010", previu.

Neste ano, o Iedi estima crescimento zero do Produto Interno Bruto (PIB). Para 2010, a estimativa é de expansão de 4,0 por cento.

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou que a produção industrial teve o pior primeiro semestre desde 1975, ao cair 13,4 por cento. Mas em junho a atividade subiu 0,2 por cento sobre maio, no sexto mês consecutivo de alta nesse tipo de comparação.

Mais conteúdo sobre:
POSCRISEIEDI*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.