Andre Dusek/Estadão
Andre Dusek/Estadão

Possível candidato ao comando do PT, Humberto Costa (PE) se encontra com Lula e faz consulta interna

Reunião ocorrerá três dias depois de o presidente nacional do partido, Rui Falcão, confirmar que a legenda vai antecipar as eleições internas; o senador Lindbergh Farias (RJ) também é cotado para o cargo

Erich Decat, O Estado de S.Paulo

20 Setembro 2016 | 14h49

BRASÍLIA - Cotado como um dos nomes para assumir a presidência do PT, o senador Humberto Costa (PE), se reunirá com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva nesta quinta-feira, 22, em Recife. Na ocasião, deverá ser realizada uma conversa sobre a viabilidade da candidatura. Segundo o Estado apurou, o senador também deve fazer consultas junto a outros integrantes de sua corrente, Construindo um Novo Brasil (CNB), nos próximos dias sobre a possibilidade de entrar na disputa.

O encontro com Lula ocorrerá três dias depois de o presidente nacional da legenda, Rui Falcão, confirmar que o partido vai antecipar as eleições internas e que está em busca de um político mais jovem para comandar o PT nas próximas eleições de 2018. Além de Humberto Costa, o senador Lindbergh Farias (RJ) também tem sido lembrado para assumir o posto. 

As conversas entre Lula e Humberto Costa estão previstas para ocorrer durante a passagem do ex-presidente por Pernambuco, ocasião em que os dois vão percorrer o Estado pedindo votos para os candidatos do partido na disputa municipal de outubro.

Entre as agendas previstas está a participação de Lula no palanque do candidato João Paulo, que briga pelo comando da prefeitura de Recife. De acordo com a última pesquisa Ibope, o petista está em segundo lugar na corrida atrás do atual prefeito Geraldo Julio (PSB).

O ex-presidente também deve desembarcar em Petrolina, onde participa de ato junto ao candidato Odacy Amorim (PT). No caso de Petrolina, segundo alguns petistas, passou a ser uma questão de honra derrotar o candidato do PSB, Miguel Coelho, que tem liderado nas pesquisas de intenção de voto. 

Coelho é filho do senador Fernando Bezerra Coelho (PSB-PE), que ocupou o ministério de Integração Nacional no primeiro mandato da presidente afastada Dilma Rousseff. Apesar de ter feito parte da equipe da petista, o senador votou a favor do impeachment e também pela perda dos direitos políticos. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.