Postos da Caixa são destruídos no Maranhão

Cinco postos de autoatendimento da Caixa Econômica Federal em São Luís e outros quatro no interior do Maranhão foram invadidas e depredadas por pessoas inscritos no programa Bolsa Família depois que um boato sobre o fim do programa se alastrou pelo estado.

ERNESTO BATISTA, Agência Estado

19 de maio de 2013 | 19h25

Segundo o superintendente da Caixa no estado, Hélio Duranti, o tumulto começou no interior do estado, na cidade de Santa Rita, localizada há 81 quilômetros da capital e chegou à São Luís no início da noite deste sábado, 18.

Foram registrados tumultos nas agências da Cohab, São Francisco, Centro e até num dos bairros nobres da capital maranhense - o Renascença. Testemunhas que viram o tumulto na agência do São Francisco disseram que as pessoas chegaram em dezenas de motos e carros particulares, arrebentaram uma das portas de vidro e passaram a depredar os caixas eletrônicos.

A agência de uma das cidades balneário do litoral leste do Maranhão - Barreirirnhas, distante 321 quilômetros de São Luís - também foi destruído pelos inscritos no programa federal revoltados.

Um dos possíveis motivos para a invasão das nove agências maranhenses teria sido o fim do dinheiro disponível nos caixas eletrônicos do banco estatal, somado ao atraso da liberação dos recursos do programa federal e ao boato da extinção do Bolsa Família. "É preciso tranquilizar a população e informar de que estas informações sobre o final deste projeto é inverídico. Há dinheiro disponível. A situação (do atraso da liberação dos recursos do Bolsa Família) foi normalizada, mas muita gente procurou os caixas eletrônicos ao mesmo tempo e o dinheiro acabou. Quem chegou depois, não encontrou, ficou revoltado e quebrou os caixas", comentou Duranti.

A Polícia Federal foi acionada e está investigando os nove casos maranhenses de destruição dos caixas eletrônicos da Caixa. O prejuízo causado pela situação não foi revelado.

Tudo o que sabemos sobre:
CaixaMaranhãovolsa família

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.