Potências mundiais fecham acordo para reator de fusão

União Européia, China, Estados Unidos,Índia, Japão, Coréia do Sul e Rússia assinaram, em Paris, umacordo para construir um reator de fusão nuclear, que operará esmagando átomos de hidrogênio de encontro uns aos outros - o mesmo processo que alimenta o Sol, e que promete ser mais limpo e maisbarato que outros meios de produção energética. O acordo foi assinado no Palácio do Eliseu, sede daPresidência da República francesa, e fará com que os sete parceiros- que representam mais da metade da população mundial - desenvolvamum projeto de colaboração ambicioso. Trata-se do Reator Experimental Termonuclear Internacional (Iter,em inglês), projeto que começa a ser elaborado após vários anos denegociações, e cujo objetivo é criar um protótipo de usina paraa produção de energia por meio da fusão de átomos. Todos os representantes dos países que fecharam o acordo falaramsobre o caráter histórico da colaboração, e sobrecomo este projeto pode favorecer o desenvolvimento de uma energiaduradoura e que respeita o meio ambiente, já que o reator nãoemitirá CO2, gás que é o principal causador do efeito estufa e damudança climática. "É uma mão estendida às gerações futuras em nome da solidariedadee da responsabilidade", disse o presidente da França, JacquesChirac, para quem o esgotamento dos recursos energéticos fósseis e oaquecimento da Terra exigem "uma revolução dos modos de produção ede consumo". Segundo o presidente da Comissão Européia (CE), José Manuel DurãoBarroso, o desafio de garantir a segurança energética com o respeitoao meio ambiente é "vital" e, por isso, a CE quer uma estratégianesse sentido. Durão Barroso disse estar confiante em que, no futuro, serárealizado o "sonho dos físicos: domesticar a energia das estrelas". O Iter será instalado em um terreno de 180 hectares em Cadarache,no sul da França. O reator estará concluído em dez anos, com um custo estimado decerca de 4,57 bilhões de euros, dos quais a UE investirá 50% e osoutros seis parceiros, 10% cada um. A idéia é que sobre dinheiro,para que haja uma reserva em caso de necessidade.

Agencia Estado,

21 de novembro de 2006 | 14h49

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.