Praga de morcegos irrita cidade americana

As grandes mansões históricas da cidade de Americus, no sul dos Estados Unidos, estão infestadas por milhões de morcegos - tantos que o céu fica preto a cada pôr-do-sol. Eles são tantos que nem o Batman da vizinhança consegue ajudar. "A cidade está mal", diz George Perkins, um removedor de morcegos que aparece em público fantasiado como Cavaleiro das Trevas, e dirige um batmóvel. A população não está achando graça. A crise com os morcegos teve início há cerca de 10 anos, e vem piorando. Perkins não é mais capaz de dar conta do trabalho, e agora o Estado decidiu interferir, criando um programa para remover os morcegos para "morcegários", onde os animais deixarão de ser um incômodo."Eles são máquinas de cocô perpétuo", disse Tripp Pomeroy, que gastou US$ 11.500 para tentar expulsar os morcegos do sótão de sua casa, construída 96 anos atrás. A maioria dos morcegos habita o bairro histórico da cidade, conhecido pelas casas de antes da Guerra Civil americana e mansões vitorianas do começo do século 20. Os morcegos são naturais de cavernas do Texas e de outras áreas do oeste americano, mas estão se deslocando para o sudeste do país já há três décadas. Especialistas dizem que o que atrai os animais em Americus são as casas velhas, cheias de vãos e reentrâncias. Os morcegos partem em revoada ao anoitecer, mantendo a cidade livre de insetos. Mas retornam para as casas ao amanhecer, onde urinam e criam pilhas de titica malcheirosa. A lei do Estado da Geórgia proíbe matar morcegos: a pena é de até um ano de cadeia e uma multa de US$ 1.000.

Agencia Estado,

02 de novembro de 2006 | 16h54

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.